ERASMUS + PARA TODOS: Universidade de Évora recebe evento dedicado ao programa


No dia 22 de setembro de 2021, o Jardim do Granito do Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora recebeu o evento “Erasmus+ para Todos: a rampa de lançamento para o teu Futuro”. A sessão foi composta por duas partes, dedicadas à explicação do projeto e à partilha de testemunhos sobre a experiência de estudar fora do país, ao abrigo deste programa internacional.

A primeira parte da conferência contou com as declarações da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação, representada pela sua Diretora, Ana Cristina Perdigão, bem como por Tiago Diniz, Gustavo Alva Rosa e Carla Ruivo. A sessão teve ainda a presença de Rosalina Costa, Pró-Reitora da Universidade de Évora e Henrique Gil, Presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE).

Ana Cristina Perdigão começou por dizer que o programa Erasmus+, que entra numa nova fase no ano de 2021, tem como quatro prioridades transversais a inclusão e diversidade, a sustentabilidade ambiental, a transformação digital e a participação democrática, afirmando que estes são “temas que o programa entende que deve acompanhar a sua evolução”.

De seguida, Rosalina Costa enfatizou a importância do programa Erasmus+ pelos valores e aprendizagens que permite aos estudantes, considerando-o uma experiência “única”. A Pró-Reitora da Universidade de Évora sublinhou ainda que a Universidade é um “observatório excelente para olhar o mundo, aprender com o que observamos e imaginar formas criativas de lidar com o que vemos e não nos parece tão justo”. Neste sentido, considera que o facto de o Programa Eramus+ estar ligado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é “uma mais valia”.

Henrique Gil, Presidente da AAUE, acredita na importância deste novo programa, principalmente numa altura em que é necessário voltar a abrir portas “à Europa e ao mundo”, depois das restrições impostas pela pandemia de Covid-19, que trouxeram algumas limitações ao projeto. A sessão contou ainda com o debate de alguns temas introduzidos por elementos da plateia, como a importância do envolvimento dos jovens na participação e cidadania europeias e a necessidade de reavaliação do valor monetário atribuído aos estudantes aquando da participação no projeto.

A segunda parte da sessão foi dedicada aos estudantes do Ensino Superior e contou com os testemunhos de Susana Augusto, Vice-Presidente da Erasmus Student Network (SN) Évora, Ana Pinelas e Marta Graça, membros do Gabinete de Mobilidade da Universidade de Évora e Gustavo Alva Rosa. Da mesa de oradores fizeram ainda parte Margarida Júlio e José Gonçalves, estudantes que já participaram no programa Erasmus+ no Ensino Superior, e Henrique Gil.

Susana Augusto começou por explicar aos estudantes presentes na conferência em que consiste a SN e descrever a sua missão, que passa pelo apoio e acolhimento dos estudantes internacionais de uma forma mais pessoal e personalizada.

Relativamente à experiência de estudar ao abrigo do programa Erasmus+, Margarida Júlio, estudante finalista de Gestão, descreveu alguns momentos da sua estadia na Lituânia, no primeiro semestre de 2021. A estudante considera a experiência como “excelente” e aconselhou os estudantes a usufruir da oportunidade. Por seu turno, José Gonçalves, finalista do mesmo curso, destacou algumas dificuldades na concretização do seu programa de Erasmus+ no primeiro semestre do decorrente ano, dadas as restrições de COVID-19 para o destino planeado. Ainda assim, o aluno contou ter conseguido ingressar no projeto e estudar na Roménia, considerando a experiência positiva.

Marta Graça, membro do Gabinete de Mobilidade da Universidade de Évora, apresentou o papel do gabinete, que se prende essencialmente com o acolhimento e acompanhamento próximo dos alunos internacionais no seu dia-a-dia na Universidade de Évora. Foram ainda respondidas algumas questões de estudantes do Ensino Superior presentes no evento, relativamente à temática em questão.

No fim da sessão, em declarações à AAUE, Ana Cristina Perdigão descreveu o programa Erasmus+ como “uma possibilidade extraordinária que se abre em termos da formação académica, pessoal e de empregabilidade”. A Diretora da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação explicou que a opinião dos estudantes que participam no programa é “esmagadoramente positiva”, motivo pelo qual incentiva todas as pessoas que tenham oportunidade de ingressar no projeto a fazê-lo. Para tal, os estudantes devem fazer as suas candidaturas junto da respetiva instituição de ensino.